quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

PERÍODO COLONIAL 1530-1822

O período colonial começa com a expedição de Martim Afonso de Souza, em 1530, e vai até a proclamação da independência por D. Pedro I em 7 de setembro de 1822. Alguns motivos como a esperança de encontrar metais preciosos levaram ao reino Português a colonizar o Brasil. No final de 1531, o rei português enviou a primeira expedição colonizadora, chefiada por Martim Afonso de Sousa, partindo de Lisboa com cinco navios e 400 homens sendo a sua missão combater os piratas franceses, fazer um reconhecimento da costa brasileira e indicar os melhores locais para o povoamento tendo em suas mãos poderes estabelecidos por cartas régias como por exemplo o poder de doar terras, nomear capitães-mores e oficiais de justiça e organizar núcleos de povoamento onde for possível. Os principais objetivos da expedição eram: proteger a colônia da ação dos piratas, explorar o litoral e iniciar a colonização. O início da colonização foi através da SESMARIAS(latifúndios entregues a cristãos capazes de cuidar da terra) com a fundação da primeira vila (São Vicente, no atual Estado de São Paulo, 1532) e do primeiro engenho, implantando o cultivo de cana-de-açúcar. Outras também são fundadas a de Santo André e Santo Amaro. O sentido da colonização deve ser entendido da seguinte forma: A colônia fica sob o controle da metrópole. É ela, a colônia, quem vai fornecer produtos tropicais e metais preciosos para Portugal, e vai consumir os produtos manufaturados produzidos na metrópole.
Em 1534 é criada as CAPITANIAS HEREDITÁRIAS sem dinheiro o rei de Portugal D. João III para investir numa colonização centralizada ele entrega a colonização a iniciativa privada. O Brasil foi dividido em 15 faixas horizontais entregues a 12 donatários que eram pessoas de razoáveis condições financeiras e como esse sistema era hereditário após a morte do donatário a posse da terra iria para seus filhos. Para ser um capitão donatário era necessário pertencer a religião católica e ter fidelidade a coroa, a nacionalidade e a riqueza. As capitanias eram regulamentadas por 2 documentos a CARTA DE DOAÇÃO: concedia o direito de usufruto ao donatário e o FORAL: estabelecendo os direitos e os deveres dos donatários, como: explorar a capitania, administrar a justiça, doar sesmarias, escravizar índios, cobrar e pagar tributos. O donatário tinha absoluto poder sobre a sua capitania tendo que obedecer somente ao rei. O sistema fracassou na maioria das capitanias. Os princípais motivos foram: Falta de recursos de muitos donatários, falta de interesse de alguns donatários, distância da metrópole, dificultando as comunicações, ataques de indígenas e piratas e solo inadequado, em certas capitanias, para o cultivo de cana-de açúcar. Sendo apenas as capitanias de Pernambuco e São Vicente bem sucedidas, devido a recursos próprios e boa administração dos donatários unido ao uso de capitais estrangeiros no cultivo da cana-de-açúcar. Esse sistema foi extinto pelo Marquês de Pombal.
Em 1549 com o insucesso da maioria das Capitanias levou o governo português a implantar o GOVERNO GERAL. Os objetivos eram: centralizar o poder e auxiliar as capitanias. O governo foi estabelecido na Bahia, comprada pelo rei e os donatários perdem seus poderes colocados sob controle do governador-geral com o objetivo de centralizar o poder. O Governo Geral é mantido durante a dominação espanhola (1580-1640) com a independência portuguesa, os governadores recebem o título de vice-reis. O sistema é extinto em 1808, com a vinda da corte portuguesa para o Brasil.
A ECONOMIA COLONIAL é implantada por Martim Afonso de Souza, na capitania de São Vicente baseada na cana-de-açúcar. Seu apogeu ocorreu entre 1570 e 1650, principalmente em Pernambuco com algumas características básicas: Monocultura, escravidão e latifúndio. Sendo que a produção visava o mercado externo obtendo um sucesso graças a fatores como: interesse do mercado europeu, experiência portuguesa(ilhas do atlântico), condições naturais favoráveis, como clima e solo e a participação holandesa(financiamento, transporte, refino e distribuição na Europa). O engenho açúcareiro era constituido pela casa-grande, a senzala, a casa do engenho e a capela eescola, onde os filhos do senhor aprendem as primeiras letras. A decadência açucareira se deu a partir da segunda metade do século XVII, o principal motivo foi a concorrência antilhana, promivida pelos holandeses após a expulsão do Nordeste brasileiro.
A MINERAÇÃO se deu entre os séculos XVII e XVIII com a descobertas ricas de jazidas de ouro no centro-sul do Brasil. A Coroa portuguesa volta toda sua atenção para as terras brasileiras. A região das minas espalha-se pelos territórios dos atuais Estados de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso e torna-se pólo de atração de migrantes portugueses em busca de fortuna, aventureiros de todas as regiões do Brasil e escravos trazidos do Nordeste. Sendo estabelecido alguns impostos pela Coroa portuguesa para comercializar estes metais como por exemplo o QUINTO que era o pagamento da quinta parte do total explorado a Coroa portuguesa e a DERRAMA que era o confisco dos bens dos moradores para cobrir o valor estipulado para o quinto quando há déficit de produção existiram tambem as casas de fundição que transformavam o minério em barras timbradas e quintadas e tambem a CAPITAÇÃO que era imposto pago por escravos. A proibição da circulação do ouro em pó e sua transformação em barras nas Casas de Fundição resultou na revolta deVila Rica ou de Filipe dos Santos em 1720. Em 1760, tivemos a decadência da mineração motivada por vários fatores: esgotamento das jazidas, desorganização da administração portuguesa, das pedras provocada pelo seu grande afluxo no mercado europeu, administração inadequada e técnicas de exploração deficientes. Existiram também outras atividades econômicas complementares nos séc. XVI e XVII: Pecuária, tabaco, aguardente e mandioca nenhuma chegou a dar lucros como o cultura açucareira.
Em 1580 até 1640 acontece a União Ibérica entre Espanha e Portugal e com a morte de dom Sebastião na batalha de Alcácer-Quibir, na África que não deixa herdeiros diretos quem assumi o controle de Portugal é Filipe II rei da Espanha por causa de sua aproximidade com D. Manuel que foi rei de Portugal durante o descobrimento do Brasil. Onde o rei Filipe II proibi o comércio entre Brasil e Holanda sua rival o que causa descontentamento por lado dos holandeses que criam a WIC a Companhia das Índias Ocidentais em 1621 para exercer o comércio e a colonzação mediante a conquista. Portugal reconquista a independência em 1º de dezembro de 1640 o duque de Bragança é aclamado rei e assume o trono como dom João IV. O que não é aceita pelos espanhois e entram em guerra em 1641. Para preservar a autonomia de Portugal o rei D. João IV pede ajuda a Inglaterra e as Províncias Unidas dos Países Baixos(Holanda). A efetiva independência de Portugal acontece em 1648, com o apoio decisivo da Inglaterra. E mtroca dessa proteção inglesa Portugal é obrigado a assinar tratados com a Inglaterra como por exemplo o TRATADO DE METHUEN firmado em 1703, obriga Portugal a importar “para sempre” produtos têxteis ingleses.
Existiram logo após esse período conturbado algumas invasões estrangeiras ao Brasil como a invasão francesa ao Rio de Janeiro com o objetivo de fundar a França Antártica em 1555. Em 1612 os franceses repetem a tentativa de construir uma colônia em terras brasileiras a França Equinocial e invadem o Maranhão. Logo após em 1624 os Holandese faz uma expedição ao Brasil e conquista Salvador e consegui resistir aos portugueses por quase um ano. Em abril de 1625 são repelidos por uma frota de 52 navios organizada por Espanha e Portugal. Em 1630 os holandeses fazem nova investida e conquistam Recife e Olinda em Pernambuco que era o maior centro produtor de açúcar da colônia e permanecem aqui por 24 anos. Conquistam o apoio de boa parcela da população pobre local, como o mulato Calabar, e de muitos senhores de engeho. O período de maior prosperidade da colônia holandesa ocorre no governo do principe Nassau, entre 1637 e 1644. Quando Nassau volta para a Holanda, a vila de Recife entra em rápida decadência. Conflitos entre os administradores e donos de engenho reduzem a base de apoio dos holandeses e sua resistência diante dos constantes ataques portugueses. As duas batalhas mais importantes travadas foras a Batalha de Guararapes em 1648 e 1649 onde os holandeses saem derrotados e em 26 de janeiro de 1654 reconhecem formalmente a soberania portuguesa sobre a vila de Recife em 1661, no tratado conhecido como Paz de Haia.Os Holandeses saem do Brasil e foram para as ANTILHAS, na Améria Central e começam a produzir açúcar e a concorrer com o açúcar brasileiro que entra em decadência. Na Era Pombal existiram fatores que levaram a interiorização da economia brasileira como na Amazônia com a extração de drogas do sertão e ação dos jesuítas no, Litoral Norte com a construção de fortes contra invasões estrangeiras, Sertão Nordestino com pecuária, Interior do Sudeste e Centro-Oeste com ação dos bandeirantes e a mineração e na Região Sul com a ação dos jesuítas e pecuária. A Era Pombal 1750-1777 do marquês de Pombal que era ministro do rei dom José I reconhecido como “déspota esclarecido” . Baseados no Iluminismo, os déspotas esclarecidos fizeram reformas modernizadoras para manter o absolutismo. Para fortalecer o poder real, eles reformam o Exército e a burocracia estatal, subjugam a nobreza e reduzem o poder do clero. Sua política gera crises internas e nas colônias.
No Brasil Pombal toma as seguintes medidas: Expulsa os jesuítas(1759), Extinguiu o sistema de Capitanias Hereditárias, Tranferiu o capital para o Rio de Janeiro, na mineração estabeleceu a derrama e a intendência dos Diamantes e etc. O que causa graves consequências como conflitos da elite brasileira com a metrópole. Logo após aconte algumas revoltas coloniais entre meados do séc XVII e começo so século XVIII, os abusos da Coroa na cobrança de impostos e dos comerciantes portugueses na fixação de preços começam a gerar insastisfação entre a elite agrária da colônia. Surgem os chamados movimentos nativistas: contestação de aspectos do colonialismo e primeiros conflitos de interesses entre os senhores do Brasil e os de Portugal. Entre esses movimentos destacam-se a Aclamação de Amador Bueno(1641),em São Paulo; Revolta dos Beckman, no Maranhão em 1684; a Guerra dos Emboabas, em Minas Gerais(1708); Guerra dos Mascates, em Pernambuco(1710) e o de Vila Rica(1720). Diversos movimentos nativistas se registraram no Brasil. O que caracterizou esses movimentos foi a repulsa aos abusos do fisco português, sem contestar, no entanto, o domínio luso. Ao contrário, havia uma convivência harmoniosa entre a aristocracia colonial e a da metrópole. As revoltas relacionavam-se a defesa de interesses locais e regionais, porém sem questionar o pacto colonial. Fatores que determinaram a ocorrência dos mesmos foram: as contradições internas: exploração e desenvolvimento, a política colonial portuguesa após a Restauração, as idéias iluministas: liberdade, igualdade e fraternidade, a Revolução Industrial e o liberalismo econômico, a Revolução Francesa em 1789 e a crise da mineração e o arrocho na cobrança de tributos pela metrópole. Tudo começou a gerar crise no sistema colonial e surgiram novas revoltas as emancipadoras como a Inconfidência Mineira 1788-1789 e a Conjuração Baiana, ou Alfaiates 1798. Posteriormente já no governo de D. João VI com a chegada ao Brasil da familia Real portuguesa em 1808 com aproximadamente 13 mil nobres teremos a Revolução Pernambucana em 1817. A familia Real com medo de sofrer um ataque dos franceses chega ao Brasil onde permanece até 1822 com a Revolução do Porto em 1820 que exigia o retorno da Familia Real ao país deixando no Brasil o príncipe regente D. Pedro que logo irá se tornar D. Pedro I a partir de 1822 com a independência do Brasil políticamente em relação a Portugal mediante um pagamento feito a Portugal que reconheceu a sua soberania.

Este artigo esta muito resumido ficando a você o dever de aprofundar os seus estudos por outros meios. .Italo Batista.

Bloqueio Continental-> Era a proibição, sob ameaça das armas, de os demais países do continente negociarem com a Inglaterra.
Pacto colonial-> Relação entre metrópole e colonia.
Intendência das Minas-> Toda descoberta deve ser comunicada a metrópole. Esse orgão era responsavel por isso.
Dia do Fico-> Decisão tomada por D. Pedro no dia 9 de janeiro de 1822 (permanecer no Brasil).
Literatura-> começa a surgir no séc XVIII com o Barroco e o Arcadismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário